segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Amor calado.

Descobri que você é importante pra mim, ao ver teu sorriso de anos atras, e perceber que não o vejo atualmente.
Diante daquela foto pensei.."Queria te ver sorrindo assim outra vez".
Essa descoberta me paralisou, meu coração disparou, uma onda de frio e quente percorreram minha espinha e descobri ali, que você já morava em mim, tinha se instalado...
Passou a povoar meu pensamentos e dias, te ver feliz passou a ser um dos meus  objetivos.
Na contramão, está você..frio, distante, encapsulado de decepções e dores.
Descrente da possibilidade de ser feliz, e com olhar embaçado, viciado na praticidade da auto proteção.
Eu tenho pressa, você nem desconfia...Eu absolutamente lotada, transbordando sentimentos bons.
Vontade de fazer de nossa vida um eterno sorriso..Vontade de te olhar e dizer..estou aqui, vamos viver, ser felizes, vamos realizar nossos sonhos juntos?
Vamos nos cuidar mutuamente, cuidar da vida um do outro.
Que vontade eu tenho de te abraçar, te beijar, te encher de carinho no corpo e na alma.
Como queria deitar tua cabeça em meu colo e de dar a paz, trocar de lugar com você ,e ver em teu semblante a descoberta do quanto é bom ser a paz do outro..
Mas você me assusta...me afasta...nem imagina que a felicidade que você talvez espere ou precise,está deitada ao seu lado.
 To indo embora, caber onde há espaço e quereres
To indo embora pra buscar sorrisos bobos, mãos entrelaçadas, olhares de cumplicidade e silêncios ricos.
To indo embora para viver encantamentos, enamoramentos e toques descuidados em pele macia e quente , que dá fome do teu corpo e sugere uma explosão de prazer
To indo embora de nós,pois você me assusta e me afasta...

Márcia Carvalho

domingo, 24 de setembro de 2017

Um suspiro profundo sai sem querer, como a dar espaço para mais sentir..
Sim, sou um pulsar de sentimentos bons, os ruins não se instalam, não ficam ..
Não sei sentir coisas ruins.
Observo certas  situações e penso apenas, que pena..
Que pena ser tão raso, pequeno, amedrontado e se imputar tantas dores desnecessárias.
Que pena me ler tão errado, com um olhar viciado pelo medo..
Vou batendo a porta..saindo devagar e silenciosamente.
É assim que me despeço de erros, sem alarde..
Só o silencio da alma, nos faz identificar possíveis acertos..
A vida tem pressa, urgências..eu, não mais..
Márcia Carvalho

sábado, 5 de agosto de 2017

Supresa boa..

Ele disse :

"Quem não quer ver já viu.Não tem mais como desolhar.."
Já era tarde...

Por favor.

Por favor, avise ao meu corpo que ele não te pertence mais.
Que ele precisa se encaixar em outras mãos.
Se excitar com outra voz
Sorri pra outro rosto.
Peça que ele se acalme, que tente dar chance a outro prazer.
Que não seja esse que me faz refém e me traz de volta a um lugar que nao quero mais e não vou voltar.
Diz para meu corpo, nao sentir falta do teu cheiro, teu peso, teu gosto.
Explica que não somos mais "nós".
Que não podemos mais nos pertencer.
Peça que te procure em outras camas, mesmo que isso doa e me agrida.
Peça ao meu corpo, para não nos buscar nas madrugadas solitárias.
Onde tento acalma-lo sozinha, recorrendo ao que vivemos para poder dormir..
Peça a meu corpo para se livrar de tuas mãos, que o buscava como um pianista busca a nota perfeita..
Ou como sedento, busca sua água..
Por fim, desencaixe.

Márcia Carvalho






quinta-feira, 6 de julho de 2017

Volta

Passeio pela casa literalmente embriagada pelo que ficou de voce...Sua voz, teu cheiro , tua energia tão forte me envolve como bolha.. Como é bom..Cheirei a toalha, o travesseiro, o edredon, tudo tem voce.
Meu corpo dói um pouco, denunciando tua presença ávida, a entrega perfeita, o prazer do pertencimento mútuo.
Volta..

" O romantismo é, uma leitura resignificada de situações comuns"
Márcia Carvalho

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Palavras

As palavras saem fáceis, desenham cenários desejados, sonhados.
Falam de amores não sentidos, de saudades falsas e necessidades inexistentes.
Exitem coisas que só existem no verbo, não se faz carne, não na intensidade ou verdade dita.
Palavram vazias de conteúdo traem, quando se acredita muito nelas,
Palavras cortam, magoam, iludem..
Bom seria poder viver dentro de tuas palavras fáceis, onde todo amor e entrega cabem, o desejo se prolonga, a saudade dói, tua fome de mim não acaba..
Mas as palavras voam, e vem a presença apressada, com sede de término e as palavras , as frases e conversas longas viram vírgulas, reticencias e vivencias interrompidas, inacabadas.
Neste momento no coração de quem as recebem,as palavras viram cacos de vidros , cortando a espera do conteúdo dito, deixando sangrando  a esperança da felicidade declamada.
O vazio se instala, a tristeza visita, a dúvida desassossega..Até ela ouvi-lo de novo, e ir se preenchendo de meias verdades, ganhando tempo para ver se as palavras germinam, floresçam e ela possa colher alguma verdade,



.
E todo ciclo recomeça, e ela vai vivendo num  eterno inverno verbal, se encolhendo do frio de palavras vazias.

Márcia Carvalho